top of page
  • Foto do escritorDr. Luiz Fragetti | Cliesp Vacinas

VACINAS NOS SÉCULOS XX E XXI


A história das vacinas nos séculos XX e XXI é repleta de avanços significativos na prevenção de doenças. No século XX, ocorreram várias descobertas importantes, como a vacina contra a poliomielite, desenvolvida por Jonas Salk em 1955, e a vacina contra o sarampo, caxumba e rubéola (MMR), desenvolvida nos anos 1960. Essas vacinas contribuíram para a redução drástica de casos e mortes causados por essas doenças.

No final do século XX e ao longo do século XXI, foram feitos mais progressos notáveis. A vacina contra a hepatite B se tornou disponível em 1982, prevenindo infecções hepáticas potencialmente graves. A vacina contra o Haemophilus influenzae tipo b (Hib) também teve um impacto significativo na redução de casos de meningite e pneumonia em crianças pequenas.

No início do século XXI, ocorreu um marco importante com o desenvolvimento da vacina contra o papilomavírus humano (HPV), que ajuda a prevenir o câncer do colo do útero, além de outros tipos de câncer relacionados. A vacina contra a gripe pandêmica H1N1, em 2009, foi uma resposta rápida à emergência global da gripe suína.

Um dos avanços mais notáveis no século XXI foi o desenvolvimento de várias vacinas contra a COVID-19. Com a pandemia em andamento, a comunidade científica global uniu esforços para desenvolver, testar e distribuir vacinas eficazes em tempo recorde. Entre as vacinas mais conhecidas estão aquelas produzidas pelas empresas Pfizer-BioNTech, Moderna, AstraZeneca e Johnson & Johnson.

Esses avanços nas vacinas demonstram o poder da ciência e da colaboração em prol da saúde pública. A pesquisa contínua e o desenvolvimento de vacinas são essenciais para enfrentar os desafios de saúde que surgem em nossa sociedade. A história das vacinas continua a se desenrolar, com cientistas e especialistas buscando proteger a população contra doenças e garantir um futuro mais saudável.

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page