top of page
  • Foto do escritorLuís Fragetti

Vacina Tuberculose [BCG ID] Previne principalmente as formas graves de tuberculose


VACINA TUBERCULOSE [BCG ID] Previne principalmente as formas graves de tuberculose, como meningite tuberculosa e a tuberculose miliar (espalhada pelo corpo).


A Vacina BCG – ID, contra a Tuberculose, surgiu no ano de 1920, em Paris, é composta pelo Bacilo de Calmette-Guérin – origem do nome BCG em homenagem aos dois cientistas que a desenvolveram – e é obtida pela atenuação (enfraquecimento) de uma das bactérias que causam a tuberculose.  A sigla ID – Intra Dérmica – caracteriza a via de introdução. Habitualmente aplicada ao nascer, está indicada para proteger contra formas graves da tuberculose, principalmente nos primeiros cinco anos de vida. A BCG se aplica por via Intra Dérmica, no braço direito, região do músculo deltoide. Esquema de uso inclui administrar a partir do nascimento, sendo que a primo-vacinação não é realizada acima de 5 anos de idade. Não há indicação de se aplicar uma segunda dose, de reforço, salvo em pessoas comunicantes de portadores de hanseníase. A presença de cicatriz vacinal atesta que houve imunização e, assim, no caso de uma criança menor de cinco anos de idade que tenha recebido BCG há mais de 6 meses e que não exiba cicatriz vacinal, deve ser revacinada, sem necessidade de avaliação do exame PPD (exame da tuberculina).   Os comunicantes (contatos) de hanseníase devem receber duas doses de BCG, com intervalo mínimo de seis meses, devendo-se considerar a presença de cicatriz vacinal como primeira dose.


A evolução da cicatriz vacinal, habitualmente ocorre sem complicações, sendo que após 2 semanas, surge pequena elevação avermelhada e dolorosa de 5 a 15 mm; segue-se em 3 a 4 semanas, pequena bolha com pus, evoluindo para crosta; após 4 a 5 semanas, observa-se úlcera de 4 a 10 mm de diâmetro, evoluindo após 6 a12 semanas para cicatriz de 4 a 7 mm. Alguns casos evoluem mais lentamente e podem ser mais brandos, podendo demorar até 6 meses para a formação da cicatriz vacinal. Em uma pequena proporção dos vacinados ocorre aumento do tamanho dos gânglios (ínguas) axilares ou supra-claviculares, podendo desaparecer espontaneamente após 1 a 3 meses.


Por se tratar de vacina atenuada, utilizando-se o bacilo bovino, pode ocorrer o evento adverso da Becegeite,  observável em 0,04% dos vacinados, quando úlceras maiores que 10 mm que não cicatrizam, abscessos subcutâneos, linfoadenite e cicatriz queloide podem ocorrer.


Importante lembrarmos das contraindicações da BCG, que são: peso menor que 2000g, lesão de pele no local de aplicação, HIV positivo, imunodepressão, tratamento com quimioterapia ou radioterapia, uso de corticoide oral ou parenteral por mais de duas semanas (>2 mg/kg/dia ou 20 mg/dia de prednisona), febre e gravidez.


Não há contraindicação de ser aplicada, concomitantemente ou a qualquer intervalo de tempo, de outras vacinas.


Como para todas as outras vacinas, a conservação da BCG se constitui em necessidade fundamental para o sucesso vacinal. A BCG deve ser conservada entre +2ºC e +8ºC, protegida da luz solar, já que se inativa pela luz solar direta, mas não pela luz artificial.

0 visualização0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page